Latest Entries »

Você é um Líder?

Por Mauricio Rebellato

Essa semana escutei de uma professora da faculdade: “Um grupo não vai pra frente sem alguém que lidere, organize”. A sociedade organiza-se assim, temos lideranças políticas, religiosas, educacionais, de bairro, do time de futebol, do trabalho de escola, enfim, somos rodeados de “líderes”.

Um líder exerce importante função no exercício de determinada atividade, porém este, antes de liderar outras pessoas deve saber lidar consigo mesmo. A partir do momento em que esta pessoa tem autocontrole, é decidida e não é arrogante, poderá assumir uma liderança.

Às vezes é difícil encontrar bons líderes. É fácil percebê-los, são aqueles que centralizam o poder de organizar, mas que descentralizam as atividades e que sabem respeitar o limite de cada envolvido no trabalho. Porém, o bom líder que age com humildade e sobriedade, esse sim é escasso. A frase de minha professora é uma grande verdade. Sempre presenciei isto principalmente na escola, onde desde as séries iniciais, começam a se formar líderes. Aos professores atribuo grande importância nesta fase de reconhecê-los e orientá-los.

Se não percebido e educado tem grandes chances de se tornar prepotente. E aí cito uma frase de um famoso teólogo, Pe. Agenor Girardi: “Ter humildade é ter a coragem de descer à própria sombra. Em vez de engrandecer-se, o humilde deve descer de seu trono e de sua prepotência e reconhecer que é feito de barro.”

Que cada um possa e se disponha a exercer funções na comunidade, a criar e liderar grupos, a tomar iniciativas. Quantas lideranças podem estar escondidas, por terem sido sufocadas no momento em que mais necessitavam de ajuda? Contudo que sejas sereno – não agitado e turbulento. Que tenhas sobriedade para não perder o controle, e que use deste dom para bem servir a comunidade e ao próximo.

Anúncios

Por Bruna Castro

A Semana da Agricultura Familiar – evento que reuniu representantes de organizações públicas e sociais e técnicos do Ministério do Desenvolvimento Agrário – foi encerrada na sexta-feira, 10/12, em Brasília. Métodos para fortalecer a agricultura familiar, o Programa Nacional de Crédito Fundiário e o desenvolvimento territorial foram alguns dos temas discutidos.

De acordo com uma entrevista do ministro Guilherme Cassel, ao jornal A Folha de S. Paulo, a importância da agricultura familiar no combate à miséria no campo é de extrema importância: “4,8 milhões de brasileiros saíram da condição de pobreza nos últimos anos e o índice de pobreza foi reduzido de 25% para 14%, beneficiando 3,3 milhões de pessoas”, explicou. Ele também destacou o crescimento da renda da agricultura familiar, que subiu 33% desde 2003 – três vezes mais que no meio urbano.

O secretário de Desenvolvimento Territorial, Humberto Oliveira, que também participou do evento e falou à imprensa, disse que a estratégia territorial contribuiu de forma significativa para o desenvolvimento do meio rural: “Colocamos na agenda governamental e de vários governos estaduais os instrumentos para o planejamento e a gestão social das políticas públicas com enfoque territorial”.

Por Isabeli Lopes

Com o objetivo de criar mais oportunidades para os jovens cruz-altenses, o Vereador José Reis, líder da bancada do PDT, propôs um Pedido de Comissão Especial para estudar e emitir parecer sobre a possibilidade de construção e implantação de Escola Profissionalizante no Município de Cruz Alta. A Comissão deve ser composta por um Vereador de cada partido. De acordo com José Reis esta Comissão é de extrema necessidade para o município, tendo em vista a implantação de uma Escola Técnica Profissionalizante que oferece oportunidades para todos e, principalmente, para os jovens da cidade, proporcionando-lhes condições de trabalho e renda.

“A implantação de uma Escola Técnica Profissionalizante certamente qualificará a mão-de-obra disponível em Cruz Alta, viabilizando ainda a criação de novos postos de trabalho – que inclusive será determinante para a redução do êxodo de nossa juventude”, explica o Vereador.

Para ele, com essas condições Cruz Alta será um centro de referência de mão-de-obra qualificada que possibilitará conquistas para a juventude, além de evitar que as empresas que se instalam em nossa cidade esbarrem na falta de qualificação de nossos jovens trabalhadores, buscando mão-de-obra em outras cidades e até em outros estados.

Por Isabeli Lopes

O Vereador de Cruz Alta, Paulo Macagnan (DEM) apresentou em Sessão Ordinária da Câmara Municipal um Projeto de Indicação com a proposta de que seja estudada a implantação de passe livre no transporte coletivo urbano nos dias de eleição.

Vereador propõe passe livre nas eleições

De acordo com Macagnan as pessoas de baixo poder aquisitivo, em muitos casos, mudam de endereço com certa frequência, uma vez que procuram sempre um aluguel mais barato e acabam morando longe do local onde votam. Com a necessidade do voto obrigatório essa parte da população encontra dificuldade de deslocamento até seu colégio eleitoral, e assim podem sofrer algum tipo de influência ou até mesmo não votar.

Pensando nisso, o Vereador Macagnan desenvolveu um projeto que tem o objetivo de proporcionar benefícios à população de baixa renda no que diz respeito ao deslocamento dos eleitores. A proposta é de que essas pessoas tenham passe livre nos dias de pleitos eleitorais para facilitar o voto. “Muitas pessoas deixam de votar por não terem condições de pagar a passagem do ônibus. Entendo que o Poder Público tem o dever de facilitar essa situação para os eleitores”, ressalta Macagnan.

No município de Cruz Alta, nessas eleições, o índice de abstenção no 1º turno foi um pouco mais de 20%, já no 2º turno o índice aumentou, chegando a quase 23% a abstenção. Macagnan destaca que se esses eleitores que deixaram de votar tivessem transporte gratuito, certamente esses índices seriam menores.

Por Abel Ellwanger

Quem nunca teve um dia em que pensou nossa como o tempo passa rápido? Dizem que o tempo está passando muito rápido. As crianças crescem voando. A semana passa e ninguém sente. Quando se vê já é Natal e ninguém viu. Mas eis que fiquei pensando…

Será que é o tempo que está passando rápido por nós, ou somos nós que estamos passando ligeiros por ele? Caso tenhamos tempo para pensarmos bem, o tempo de hoje é igual ao que os nossos antepassados tiveram para viver. A diferença, talvez, resida no fato de que eles não tivessem esta estranha sensação de que a vida passa ligeira como num filme.

Creio que eles simplesmente viviam. Não sei o que foi que mudou a vida e nossa maneira de passar pelo tempo. Pode ter sido o avanço tecnológico ou o aumento da população que nos forçou a viver correndo de modo a evitar a fome e a miséria. Podem ser tantas coisas. E só uma posso dar como certa. Existe uma maneira melhor de viver e ela já foi aplicada e deixada de lado pelo homem com modo de vida ocidental. Este homem, não sabe mais lidar com o tempo, além de tantas outras coisas.

Deixa-o escorrer por entre os dedos desde o momento em que acorda sem despertar até a hora do sono, que tantas vezes nem vem. Colocou em seus palmtops tantas informações, precisa ler tantos livros, realizar tantos projetos, viver tantas vidas. Não consegue mais ouvir o tic tac que indica o tempo passar.

A linguagem num país colonizado por diferentes povos e etnias

Por Abel Ellwanger

A linguagem é tão antiga quanto a sociedade, ela sempre teve um sentido, um significado, mas está extremamente ligada ao contexto social. No Brasil a utilização da língua é diferente segundo as classes sociais; geralmente nas escolas a linguagem é determinada a partir da realidade social do professor, mesmo que ele tenha alunos de classes socialmente menos privilegiadas, não há uma preocupação com essa diferença. Nestes casos os alunos de classe média baixa que tem alguma dificuldade e não contam com um tratamento diferenciado são excluídos e prejudicados, pois em muitas circunstâncias acabam inibido-o, por vergonha, de fazer errado.

A colonização no país trouxe inúmeras línguas que se massificaram e foram se dividindo conforme os estados e suas regiões. O livro Linguagem Escravizada aborda alguns termos entre falar “bem” ou falar bonito e ser “culto”. Os autores mostram igualmente que praticar o padrão considerado culto da língua pode também assumir o sentido de não pertencer e separar-se das classes subalternizadas. Segundo o autor Mário Maestri “Os Membros emergentes das classes desfavorecidas sempre puderam se incorporar às chamadas elites, desde que renegassem suas raízes sociais, ideológicas e lingüísticas”.

Uma das exigências do mundo globalizado é a existência de uma língua globalizada. Serve de exemplo, a reforma ortográfica estabelecida no idioma português, que praticamente unifica as normas escritas dos países que falam o idioma. Os padrões linguísticos adotados hoje, determinam a visão da classe dominante. A relação de poder no que diz respeito à língua não deveria influenciar na estrutura de uma linguagem que usa o nome da sua língua padrão como português de Portugal. E por que não usar o português do Brasil já que existem algumas diferenças na fala, afinal o cientifico é sempre o mesmo e a maior mudança está propriamente na fala?

Entretanto podemos afirmar que no Brasil temos um padrão linguístico, mas junto a este padrão vem o preconceito entre as diferentes classes sociais. A língua que se fala na favela, por exemplo, é diferente nas classes média e média alta, diferença esta que começa na escola. Muitos autores fazem estudos e publicam livros sobre a linguagem, mas praticamente todos se referem a ela na escrita, esquecendo da linguagem falada, pois primeiro aprendemos a falar e depois a escrever.

A energia em nossas mãos

Por Abel Ellwanger

As constantes mudanças e inovações determinam a necessidade da busca incansável pela preservação e garantia de sobrevivência do homem através da energia. A praticidade de hoje pode ser o problema de amanhã – há quem tenha um veiculo e não dispense seu uso nem para ir ao mercado que fica a 100 metros de sua casa e não desça do carro para abrir o portão – estas são atitudes que acabam se tornando costume e, logo, uma segunda ou terceira geração de nossas famílias sentirá na pele os resultados dessa comodidade desfrutada hoje. O carro consome combustível e emite gases que poluem o meio ambiente, o portão eletrônico é movido à energia elétrica (esta que frequentemente ouvimos campanhas para economizar e diminuir ao máximo o consumo, pois é gerada através da água em barragens e usinas).

As energias renováveis estão ganhando mercado no mundo inteiro de forma cautelosa, por sabermos que o custo para produção dela é bastante elevado e depende da natureza. As energias renováveis são fontes inesgotáveis de energia obtidas da Natureza que nos rodeia, como o Sol ou o Vento. Estas energias podem ser:

– Energia Solar: A energia do Sol pode ser convertida em electricidade ou em calor, como por exemplo os painéis solares fotovoltaicos ou térmicos para aquecimento do ambiente ou de água;
– Energia Eólica: A energia dos ventos que pode ser convertida em electricidade através de turbinas eólicas ou aerogeradores;
– Energia Hídrica: A energia da água dos rios, das marés e das ondas que podem ser convertidas em energia eléctrica, como por exemplo as barragens;
– Energia Geotérmica: A energia da terra pode ser convertida em calor para aquecimento do ambiente ou da água;

O crescimento mundial na produção de veículos, bem como o sucesso da construção civil estão diretamente ligados ao consumo de energia, seja combustível ou energia elétrica. Para isso são criadas algumas alternativas para atender a grande demanda e com o objetivo de criar alternativas para a produção de energia renováveis. Não se tem um número referente a quantidade de petróleo existente no mundo, mas é do conhecimento de todos que não o teremos para sempre.

Uma pesquisa do Jornal Estadão apontou em janeiro deste ano que em quatro anos o Brasil terá um automóvel para cada quatro habitantes. Uma alternativa de combustível que pode ser produzido e ja é muito usado no Brasil é o Biodiesel, ele é um combustível biodegradável derivado de fontes renováveis, que pode ser obtido por diferentes processos tais como o craqueamento, a esterificação ou pela transesterificação. Pode ser produzido a partir de gorduras animais ou de óleos vegetais, existindo dezenas de espécies vegetais no Brasil que podem ser utilizadas, tais como mamona, dendê (palma), girassol, babaçu, amendoim, pinhão manso e soja, dentre outras.

Segundo o presidente da Abiodiesel ( Associação do biodiesel ) Nivaldo Trama a produção atual é de 600 milhões de litros, que atualmente substituem 1,5% da matriz mineral do diesel comum.

Por outro lado na construção civil a tendência é a construção de edificios, ou seja, maior número de pessoas em um espaço, um aumento vertical, ocupando o mesmo espaço horizontal. Anexo a todas essas novidades, está a captação de energias renováveis que nos edifícios é um desafio para o qual o objetivo é conceber um prédio eficiente que permita a incorporação de um sistema que capte a energia e a transforme numa fonte de energia que seja útil para o edifício. Na realidade a colocação de, por exemplo, painéis solares na cobertura do edifício não é por si só uma medida eficiente de energia, pois se não tivermos em conta a eficiência do edifício esta pode nem ser suficiente para comportar a energia, por exemplo, da iluminação quanto mais do resto dos sistemas. Daí a importância da integração dos sistemas de energias renováveis em edifícios eficientemente energéticos que até esse ponto esgotaram todas as possíveis estratégias de design passivo na sua concepção ou que na sua reabilitação foram tidas em conta medidas de reabilitação energética e de eficiência energética.

Turbinas Eólicas

A energia eólica é baseada no aproveitamento da força de massas de ar em movimento (ventos) e, para captar a energia cinética dos ventos e transformá-la em eletricidade, é necessário um equipamento relativamente complexo: o aerogerador.

Composto de uma torre de aço ou concreto e geralmente três pás, o aerogerador se assemelha a um enorme “cata-vento”. O potencial de geração de energias renováveis como eólica e solar já vêm se traduzindo em números concretos de implantação no mundo, com benefícios não apenas ao meio ambiente, como também à geração de empregos e ao desenvolvimento de economias.

O fator que impede a expansão e um maior investimento nestas formas de energia são os altos custos para montar e manter as estruturas. Um estudo realizado pelo portal das energias renováveis afirma que até 2030 serão criados 12 milhões de empregos, 8,5 milhões deles apenas no setor de renováveis. O valor é 33% maior do que se continuássemos a investir somente em combustíveis fósseis.

O que mais impressiona é que podemos usar os recursos oferecidos pela natureza para produzir energia sem prejudicar o meio ambiente, sabendo que o nosso país tem um clima favorável à utilização desses novos meios de absorção de energia.

Por Viviane Lara

Confira abaixo o vídeo produzido pela acadêmica de jornalismo da Unicruz Viviane Lara sobre os reflexos da derrota do Internacional Futebol Clube na disputa pelo Mundial em Dubhai nessa terça-feira, 14/12.

A logística para o escoamento dos grãos na região Noroeste do estado

Por Abel Ellwanger

Moega para armazenagem de grãosA logística da produção de soja relaciona-se ao planejamento e operação dos sistemas físicos, informacionais e gerenciais necessários para que insumos e produtos se movimentem de forma integrada no espaço através do transporte e no tempo através do armazenamento no momento certo, para o lugar certo, em condições adequadas e gastando o menos possível com isso.

Na região noroeste do estado a produção é escoada até terminais de armazenamento por via rodoviária, ou seja, a utilização de caminhões apenas para o transporte da lavoura ou do armazém próprio do produtor até chegar ao terminal que dará o destino de toda a produção para Rio Grande. Neste caso a soja é normalmente movimentada a granel, por transportadores rodoviários autônomos (na maior parte dos casos, agregados às empresas de transporte rodoviário) que se utilizam predominantemente de carretas rodoviárias com capacidade de 27 t, e mais recentemente dos bi-trens, com capacidade de 40 t.

O município de Cruz Alta é geograficamente denominado o centro deAcesso Ferroviário ao carregamento da Bianchini Unidade de Cruz Alta armazenamento temporário para o escoamento da produção no estado, pois conta com um porto seco de transporte ferroviário que liga a cidade até o porto de Rio Grande. A empresa Bianchini S/A é responsável por este port. Grande parte da soja produzida na região passa pela empresa antes de chegar ao porto fluvial. Segundo o gerente comercial da empresa Gilmar Osmen, 97% dos grãos chegam a Rio Grande pelo modal ferroviário, pois o custo do transporte é menor do que o rodoviário e agiliza na carga e descarga. A Bianchini conta com quatro unidades próprias de recebimento espalhadas pela região e para chegar até o porto seco o transporte utilizado é o rodoviário, portanto circulam pela empresa em torno de 500 mil toneladas de soja por ano.



Por Ivana Dalmás

O verão chegou e junto dele devemos tomar alguns cuidados especiais, principalmente na alimentação. Nesta estação as temperaturas se elevam e muitas mudanças ocorrem no nosso meio. E para que estas mudanças não alterem nosso metabolismo precisamos ficar atentos à hidratação do corpo e a uma correta alimentação.

Nutricionista Yanna Peuckert

A nutricionista Yanna Peuckert traz algumas orientações que devem ser seguidas para evitar essas mudanças.

 

Os alimentos que devemos dar ênfase no verão são as frutas e verduras, pois além de serem ótimas fontes de vitaminas, minerais e fibras, ajudam a refrescar e proporcionam um lindo bronzeado”.

Frutas na alimentação são recomendação

No verão os alimentos gordurosos, como maionese, molhos prontos, precisam ser evitados, pois além de não fazer bem nas altas temperaturas, há uma grande chance de causar patologias. Sempre dando preferência aos molhos que têm a base de iogurte, explica a nutricionista.

 

Para os carnívoros de plantão, as carnes magras são as mais indicadas para esta época. Elas são digeridas facilmente, além de mais saudáveis evitam desconforto. A nutricionista alerta para a maneira de preparo das carnes, que devem ser cozidas, grelhadas e assadas. Deixando sempre de lado frituras que além de não combinar com a estação, são altamente calóricas.

A dica para os que não abrem mão do doce é optar por frutas ou doces à base delas, como: sorvetes, picolés, compotas geladas, mousses, todos os tipos de frutas, que além de refrescar e não serem tão calóricas, são fontes de vitaminas.

Alimentos com betacaroteno

Alimentos ricos em vitamina A e C ajudam no bronzeado, dando uma cor mais bonita e duradoura. A nutricionista cita os principais: “Alimentos como abóbora, batata-doce, beterraba, cenoura, mamão, manga, agrião, brócolis, couve, espinafre e repolho, são os mais indicados para quem quer obter um ótimo bronzeado”. Além disso, os legumes, frutas e verduras de cor alaranjada ou verde-escuro são ricos em betacaroteno A especialista explica que esses alimentos ajudam na formação de melanina, o pigmento presente na pele para proteção e promoção de um bronzeado duradouro e saudável. “O alimento campeão sem dúvidas é a cenoura.”, revela.

 

Outro cuidado que devemos tomar no verão é com a hidratação do corpo. Em geral deve ser consumido no mínimo 1,5 litros de água ao dia. “Sucos naturais, chá gelado também são ótimas fontes de nutrientes e ajudam a hidratar”, explica Yanna.