Category: Responsabilidade Social


A energia em nossas mãos

Por Abel Ellwanger

As constantes mudanças e inovações determinam a necessidade da busca incansável pela preservação e garantia de sobrevivência do homem através da energia. A praticidade de hoje pode ser o problema de amanhã – há quem tenha um veiculo e não dispense seu uso nem para ir ao mercado que fica a 100 metros de sua casa e não desça do carro para abrir o portão – estas são atitudes que acabam se tornando costume e, logo, uma segunda ou terceira geração de nossas famílias sentirá na pele os resultados dessa comodidade desfrutada hoje. O carro consome combustível e emite gases que poluem o meio ambiente, o portão eletrônico é movido à energia elétrica (esta que frequentemente ouvimos campanhas para economizar e diminuir ao máximo o consumo, pois é gerada através da água em barragens e usinas).

As energias renováveis estão ganhando mercado no mundo inteiro de forma cautelosa, por sabermos que o custo para produção dela é bastante elevado e depende da natureza. As energias renováveis são fontes inesgotáveis de energia obtidas da Natureza que nos rodeia, como o Sol ou o Vento. Estas energias podem ser:

– Energia Solar: A energia do Sol pode ser convertida em electricidade ou em calor, como por exemplo os painéis solares fotovoltaicos ou térmicos para aquecimento do ambiente ou de água;
– Energia Eólica: A energia dos ventos que pode ser convertida em electricidade através de turbinas eólicas ou aerogeradores;
– Energia Hídrica: A energia da água dos rios, das marés e das ondas que podem ser convertidas em energia eléctrica, como por exemplo as barragens;
– Energia Geotérmica: A energia da terra pode ser convertida em calor para aquecimento do ambiente ou da água;

O crescimento mundial na produção de veículos, bem como o sucesso da construção civil estão diretamente ligados ao consumo de energia, seja combustível ou energia elétrica. Para isso são criadas algumas alternativas para atender a grande demanda e com o objetivo de criar alternativas para a produção de energia renováveis. Não se tem um número referente a quantidade de petróleo existente no mundo, mas é do conhecimento de todos que não o teremos para sempre.

Uma pesquisa do Jornal Estadão apontou em janeiro deste ano que em quatro anos o Brasil terá um automóvel para cada quatro habitantes. Uma alternativa de combustível que pode ser produzido e ja é muito usado no Brasil é o Biodiesel, ele é um combustível biodegradável derivado de fontes renováveis, que pode ser obtido por diferentes processos tais como o craqueamento, a esterificação ou pela transesterificação. Pode ser produzido a partir de gorduras animais ou de óleos vegetais, existindo dezenas de espécies vegetais no Brasil que podem ser utilizadas, tais como mamona, dendê (palma), girassol, babaçu, amendoim, pinhão manso e soja, dentre outras.

Segundo o presidente da Abiodiesel ( Associação do biodiesel ) Nivaldo Trama a produção atual é de 600 milhões de litros, que atualmente substituem 1,5% da matriz mineral do diesel comum.

Por outro lado na construção civil a tendência é a construção de edificios, ou seja, maior número de pessoas em um espaço, um aumento vertical, ocupando o mesmo espaço horizontal. Anexo a todas essas novidades, está a captação de energias renováveis que nos edifícios é um desafio para o qual o objetivo é conceber um prédio eficiente que permita a incorporação de um sistema que capte a energia e a transforme numa fonte de energia que seja útil para o edifício. Na realidade a colocação de, por exemplo, painéis solares na cobertura do edifício não é por si só uma medida eficiente de energia, pois se não tivermos em conta a eficiência do edifício esta pode nem ser suficiente para comportar a energia, por exemplo, da iluminação quanto mais do resto dos sistemas. Daí a importância da integração dos sistemas de energias renováveis em edifícios eficientemente energéticos que até esse ponto esgotaram todas as possíveis estratégias de design passivo na sua concepção ou que na sua reabilitação foram tidas em conta medidas de reabilitação energética e de eficiência energética.

Turbinas Eólicas

A energia eólica é baseada no aproveitamento da força de massas de ar em movimento (ventos) e, para captar a energia cinética dos ventos e transformá-la em eletricidade, é necessário um equipamento relativamente complexo: o aerogerador.

Composto de uma torre de aço ou concreto e geralmente três pás, o aerogerador se assemelha a um enorme “cata-vento”. O potencial de geração de energias renováveis como eólica e solar já vêm se traduzindo em números concretos de implantação no mundo, com benefícios não apenas ao meio ambiente, como também à geração de empregos e ao desenvolvimento de economias.

O fator que impede a expansão e um maior investimento nestas formas de energia são os altos custos para montar e manter as estruturas. Um estudo realizado pelo portal das energias renováveis afirma que até 2030 serão criados 12 milhões de empregos, 8,5 milhões deles apenas no setor de renováveis. O valor é 33% maior do que se continuássemos a investir somente em combustíveis fósseis.

O que mais impressiona é que podemos usar os recursos oferecidos pela natureza para produzir energia sem prejudicar o meio ambiente, sabendo que o nosso país tem um clima favorável à utilização desses novos meios de absorção de energia.

Por Ivana Dalmás

A sustentabilidade virou a palavra do século. Ela está relacionada com o presente e futuro das gerações, com o desenvolvimento econômico e material sem agredir o meio ambiente. Usando de forma inteligente os recursos naturais disponíveis para que eles se mantenham no futuro. A adoção de iniciativas e projetos de sustentabilidade garantem a médio e longo prazo um planeta com melhores condições de sobrevivência e desenvolvimento das diversas formas de vida. Praticar a sustentabilidade é garantir uma boa qualidade de vida e para que esta ação seja concretizada precisa da ajuda de todos.

Muitas empresas estão engajas para um ambiente mais limpo e sustentável. É o caso da Marasca Comércio de Cereais que está comprometida em reduzir impactos ambientais. Desde 2006 a empresa desenvolve o Programa “Marasca Verde nas Escolas”, abordando questões ambientais para os alunos, seus pais e professores, através de palestras e atividades escolares.

O diretor da empresa de Tupanciretã, Robinson dos Santos, garante que ela é capaz de fornecer soluções rápidas e diferenciadas para a agricultura, buscando sempre resultado sustentável com responsabilidade social e ambiental, tornando este o lema da empresa.

Outra empresa da cidade que se dedicada à sustentabilidade é a Multirural que recebe e comercializa grãos. Segundo o presidente, Pedro Luiz Herter o agronegócio oferece muitos produtos e serviços que atendem às necessidades dos clientes, mas para isso a empresa precisa estar engajada na questão ambiental. Cuidando e proporcionando crescimento e sucesso aos clientes, a empresa participa de vários projetos e enfatiza a participação dos colaboradores e funcionários.

Projeto “Respira Tupã”

Um dos projetos é o “Respira Tupã” que acontece na sede da Multirural e mobiliza os funcionários e clientes a plantarem árvores. As mudas são doadas pelo Sindicato Rural da cidade. Além disso, a empresa visita alunos do programa Pró-jovem na escola Mãe de Deus e Polivalente, explicando e repassando informações sobre a empresa e o meio ambiente.

Por Leandro Lui

Conceituar responsabilidade social seria dizer que ela “… diz respeito ao cumprimento dos deveres e obrigações dos indivíduos e empresas para com a sociedade em geral” (Wikipédia)…

Porém, a professora e atual diretora do Colégio Estadual Blau Nunes de Santa Bárbara do Sul Jussara Barbosa dos Santos, define responsabilidade social como “a que transforma o mundo, tem o mundo nas mãos e essa transformação só acontecerá através da educação…”

Professora Jussara acredita na mudança a partir educação nas séries iniciais

Quando se fala em responsabilidade social logo se pensa em doar sangue, plantar árvores, não jogar lixo no meio ambiente e que tudo isso esteja inserido em nossa mente, já que todo mundo sabe mas ninguém faz. Para que possamos conscientizar as pessoas que a mesma não é só isso, é necessário que se inicie nas escolas, desde o ensino fundamental, a mostrar desde cedo que a valorização do processo educacional do conhecimento, do trabalho, da reciprocidade dos valores (ética, amor, responsabilidade, tolerância, respeito, compreensão e equilíbrio), e que a transformação de um mundo e de uma sociedade ainda melhor é possível.

A escola mostra e os alunos fazem. É através das atitudes e dos exemplos do dia-a-dia, nas coisas mais simples integrando a teoria e a prática que a Diretora Jussara procura passar os valores necessários para que os seus alunos e toda comunidade escolar possam também desenvolver em si um espírito fraterno, acolhedor de responsalibidade social de “saber ouvir e saber olhar o outro como um irmão”.

O colégio Blau Nunes realiza atividades no sentido da valorização integral do ser humano. Faz isso através de um trabalho coletivo, integrado, com o mesmo objetivo: o crescimento, a realização e a felicidade de toda comunidade escolar. Cada um fazendo a sua parte, contribuindo para o sucesso de todos. Sobre isso a Diretora diz que “ Trabalhar e valorizar o ser humano de verdade é a nossa missão enquanto escola que valoriza a questão dos valores acima de tudo.”

Além do projeto Valores já desenvolvido na escola, a mesma também desenvolve o projeto Solidariedade e participa de demais programas e ações organizadas por outras instituições, a nível de município, estado e até a âmbito federal. E pensando num futuro não muito distante além de dar continuidade aos projetos citados também trabalhar de forma efetiva a questão da prevenção da gravidez na adolescência sendo esta uma problemática na escola atualmente.
Pelo fato de a “gravidez na adolescência” tratar-se de saúde pública o Colégio Blau Nunes juntamente com as secretarias municipal de saúde e educação, está elaborando um projeto para trabalhar esta questão o quanto antes, com o intuito de diminuir este índice de meninas grávidas, com ações preventivas e conscientes.

Por fim a diretora Jussara diz que “viver é ter a humildade de se explicar; a capacidade de compreender, de aceitar a diversidade, de estabelecer laços com os outros. É não perder nunca a esperança de realizar sonhos, os nossos e os da sociedade. Nossa inteligência nos faz planejadores, grandes estrategistas do destino da humanidade”.

Por Bruna Castro

No próximo dia 1º, é o Dia Mundial de Luta Contra a Aids

A ONG Vhivendo Positivo, nascida em julho de 2002, vem consolidando ao longo dos anos, na cidade de Cruz Alta, um papel importantíssimo no segmento de responsabilidade social. A instituição atende crianças portadoras do vírus HIV e suas respectivas famílias – o número de beneficiados chega a 108 – procurando prover suas necessidades mais básicas, como alimentação, vestuário e remédios, além de proporcionar atendimentos hospitalar, odontológico, psicológico e pedagógico. Segundo a presidente da ONG, Anelise Giacomini, o objetivo dos esforços é sempre no sentido de dar total apoio às crianças, para que possam levar suas vidas de maneira mais digna. “Estamos sempre atentos ao que elas precisam. Por exemplo, quando surgem as doenças oportunistas, compramos os remédios, a fim de combatê-las”, ilustra.

O acompanhamento dos trabalhos na entidade se dá com a ajuda de voluntariado – item indispensável para o sucesso do projeto. “Contamos com um grupo fiel de pessoas, que sempre estão aqui nos apoiando e fazendo nosso compromisso valer a pena”, atesta. Anelise, contudo, observa que a entidade sempre estará de braços abertos para que mais voluntários juntem-se ao grupo de apoiadores já envolvidos nas tarefas, seja com doações financeiras ou, simplesmente, com carinho e atenção mesmo – o que, segundo ela, já é de suma importância: “Essas crianças precisam ser amparadas, psicologicamente. Para isso, procuramos realizar atividades educativas e que as distraiam e trabalhem suas capacidades”, enumera.

A ONG procura estar à frente de ações que gerem retorno social, fazendo parcerias com algumas empresas do município, além de atuar também no combate à disseminação do vírus HIV. “Prevenir é fundamental, mas é preciso conscientizar os portadores do risco da transmissão e do cuidado em ter uma vida sexualmente ativa”, finaliza.

Por Mauricio Rebellato

Contribuir com uma sociedade mais justa e um meio ambiente mais limpo são ações de responsabilidade social. Modismo da época? Talvez, mas as empresas que não se adéquam a esta realidade podem ser tachadas de não preocupadas com a sociedade, e que visam apenas o lucro.

Muitas empresas utilizam-se da Responsabilidade Social como forma de obter credibilidade e aumento da reputação perante o público. O técnico em Gestão Ambiental Marcos Rousso diz que a preocupação das empresas devem ir muito além da reputação. “Se preocupar com os impactos que causa, deve ser princípio básico de qualquer organização”, explica Rousso.

 Com a onda da Responsabilidade Social os consumidores também passam a utilizar-se de um novo conceito: o consumo consciente. A dona de casa Lurdes Lemerz diz considerar as ações das empresas na aquisição de um produto ou serviço. “No supermercado não levo em consideração apenas o preço, mas a matéria-prima e a forma como a empresa se relaciona com o meio ambiente e a sociedade”, argumenta Lurdes.

Assim tanto empresas quanto consumidores devem usar dos mesmos preceitos na hora da produção e comercialização de produtos. As organizações precisam perceber que a Responsabilidade vai muito além de algo passageiro, e sim uma necessidade para a sustentabilidade do planeta.