Latest Entries »

Por Daniela Lisboa

O Projeto Cidade Digital trazido para Cruz Alta em 2009 através do vereador Luiz Noé (PSB), por intermédio do deputado federal Beto Albuquerque terá a instalação das antenas já no próximo ano.

Cruz Alta foi uma das poucas contempladas com a ideia. A cidade digital é um projeto do governo federal que prevê a inclusão social. É um sistema de wireless público, que será instalado na cidade, proporcionando acesso à Internet de qualquer ponto. Beneficia a população como um todo, mas especialmente aqueles que não dispõem de acesso à rede em suas residências. E o projeto vai bem além do que o simples acesso à web. A intenção é criar na cidade uma rede de iniciativas sociais através deste sistema de comunicação.

O sistema de wireless público, que deverá abranger toda a cidade de Cruz Alta, gera expectativa na população. Para Cruz Alta foram disponibilizados R$300 mil do governo federal e o município dará uma contrapartida de 20% desse valor para ser investido. Ainda em 2009 a verba foi empenhada e o poder público municipal está dando andamento para o processo, sendo que em breve deverá realizar licitação para definir a empresa que instalará as antenas.

Por Daniela Lisboa

Uma matéria da Revista Galileu deste mês de dezembro me chamou atenção. Intitulada como Câncer Moderno, ela mostra um estudo da Universidade de Manchester, na Inglaterra, no qual aponta que a doença pode ter surgido com o nosso estilo de vida atual.

Trabalho, estudos, família e vida pessoal, para a maioria das pessoas as horas do dia deveriam ultrapassar 24 horas. Uma vida sedentária, alimentação industrializada, gordura, tensão, cobrança, metas, poluição e trânsito, assim é a vida de milhares de pessoas todos os dias. Fatores como estes são sugestivos para desenvolvermos uma das doenças mais temidas por todos: o câncer.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o câncer deve ultrapassar as doenças cardíacas como causa de morte da população até final de 2010. Esse estudo da equipe da Universidade de Manchester nos traz dados surpreendentes. Numa pesquisa feita com mil múmias do Egito e da América do Sul, todas com mais de 3 mil anos, foram encontrados apenas quatro casos de tumores benignos. O estudo nos mostra que essa doença pode ter surgido pela forma em que vivemos atualmente e, também, que na natureza não existe nenhum elemento que cause câncer.

Com isso, vale à pena pararmos um pouco e pensarmos como está nossa qualidade de vida. O que andamos comendo, se temos uma alimentação saudável e equilibrada. Pensar qual(is) atividade(s) físicas estamos fazendo para manter corpo e mente em equilíbrio. São algumas medidas simples que podem fazer toda a diferença na saúde. Pois os números estão aí, apenas cerca de 10% dos cânceres são determinados por fatores hereditários. Os outros 90% dos casos são decorrentes de um padrão de vida nada saudável.

Por Leandro Lui

Cada vez mais prima-se pela qualidade do ensino nas escolas. Elas acabaram assumido muito mais do que o simples papel de instituições de ensino e passaram a também exercer o papel de psicólogos, pais, mães e amigos . A cidade de Santa Bárbara do Sul possui apenas uma escola de ensino médio. O colégio Estadual Blau Nunes, hoje com 48 anos, presta importantes serviços à comunidade santa-barbarense e de toda região.

A instituição tem neste ano 644 alunos divididos nos turnos matinal, vespertino e noturno. A maior concentração ocorre no turno da manhã onde 364 alunos estão matriculados. No turno da tarde o número de alunos chega a 192 e, por fim, o noturno abriga 88 alunos. Um fato curioso é que cerca de 75% dos alunos matriculados a noite trabalham durante o dia.

Escola Blau Nunes


Ainda em relação ao turno da noite outro fato a constatar é que por trabalharem durante o dia estes alunos recebem uma atenção ou um cuidado especial. O ensino acaba não sendo tão puxado e acabam não recebendo muitos trabalhos para fazer em casa devido à pouca disponibilidade de tempo.

A responsável por comandar a instituição é a professora Jussara Barbosa dos Santos atual diretora. O colégio conta hoje com um quadro bem expressivo de professores, são 41 docentes divididos nos três turnos.

Com a chegada do final do ano, a procura de pais em busca de vagas para seus filhos junto ao Blau Nunes é muito grande. Pensando nisso a escola programou um sistema de matriculas on-line que pode ser efetuado pelo site http://www.seduc.rs.gov.br. O aluno se matricula pelo site e depois realiza a inscrição presencial.


Por Ivana Dalmás

A sustentabilidade virou a palavra do século. Ela está relacionada com o presente e futuro das gerações, com o desenvolvimento econômico e material sem agredir o meio ambiente. Usando de forma inteligente os recursos naturais disponíveis para que eles se mantenham no futuro. A adoção de iniciativas e projetos de sustentabilidade garantem a médio e longo prazo um planeta com melhores condições de sobrevivência e desenvolvimento das diversas formas de vida. Praticar a sustentabilidade é garantir uma boa qualidade de vida e para que esta ação seja concretizada precisa da ajuda de todos.

Muitas empresas estão engajas para um ambiente mais limpo e sustentável. É o caso da Marasca Comércio de Cereais que está comprometida em reduzir impactos ambientais. Desde 2006 a empresa desenvolve o Programa “Marasca Verde nas Escolas”, abordando questões ambientais para os alunos, seus pais e professores, através de palestras e atividades escolares.

O diretor da empresa de Tupanciretã, Robinson dos Santos, garante que ela é capaz de fornecer soluções rápidas e diferenciadas para a agricultura, buscando sempre resultado sustentável com responsabilidade social e ambiental, tornando este o lema da empresa.

Outra empresa da cidade que se dedicada à sustentabilidade é a Multirural que recebe e comercializa grãos. Segundo o presidente, Pedro Luiz Herter o agronegócio oferece muitos produtos e serviços que atendem às necessidades dos clientes, mas para isso a empresa precisa estar engajada na questão ambiental. Cuidando e proporcionando crescimento e sucesso aos clientes, a empresa participa de vários projetos e enfatiza a participação dos colaboradores e funcionários.

Projeto “Respira Tupã”

Um dos projetos é o “Respira Tupã” que acontece na sede da Multirural e mobiliza os funcionários e clientes a plantarem árvores. As mudas são doadas pelo Sindicato Rural da cidade. Além disso, a empresa visita alunos do programa Pró-jovem na escola Mãe de Deus e Polivalente, explicando e repassando informações sobre a empresa e o meio ambiente.

Por Ivana Dalmás

A moda infantil está cada vez moderna e estilosa. A criançada tem todas as oportunidades para andar de maneira confortável e ao mesmo tempo na moda. As grifes infantis lançaram a coleção do verão 2011 com muita dedicação, afinal as crianças de hoje gostam de escolher o que vão vestir. A moda do verão já apareceu em vários desfiles, mostrando-se repleta de roupas confortáveis e alegres.

As peças são simples, mas de muito bom gosto. Os temas vem variados desde natureza aos super-heróis. A coleção conta também com peças clássicas, para festas que exigem peças mais elaboradas, com estilo retro e ao mesmo tempo sem perder a inocência. Neste verão é possível que as crianças encontrem peças em cores pastéis, estampas e cores vibrantes. Porém, o destaque principal fica nos vestidos e conjuntos, e o jeans mais leve que foi destaque como grande aposta para o verão.

Adrianne Cardoso, empresária no ramo infantil em Tupanciretã, garante que as crianças terão inúmeras opções para estarem bem vestidas nesta estação. Ela revela que os desfiles mostram roupas desde mais discretas a aquelas típicas de passarelas. A empresária dá como exemplo a moda infantil da marca Carinhoso, que além de ter preço acessível, na coleção deste verão está cheia de cores e detalhes, com malhas leves e delicadas.

Ela destaca a presença da moda adulta nos modelos infantis: “As crianças estão cada vez mais exigentes e por isso a moda infantil se espelha nos adultos, procurando seguir a sua moda”. Vestidos com estampas delicadas e a combinação de texturas e detalhes românticos é a marca registrada para esta estação, revela a empresária.

Por Mauren Sauer

As rádios estão aderindo à uma brilhante ação, ao unir integrar suas programações à Rede Mundial de Computadores — hoje um dos meios mais importantes para a propagação e divulgação. Até há pouco, somente as pessoas daquele município onde a Rádio se instalou ou na região podiam escutar a programação da Rádio. Hoje, esta possibilidade vai muito além ultrapassando fronteiras, em outros municípios, cidades, capitais, países.

Até por que as rádios estão oferecendo muito mais do que apenas clicar no site e escutar musica, e sim uma infinidade de interações, promoções, apresentação da empresa, sugestões e dicas dos ouvintes e também divulgação da empresa. A programação na Rede tornou-se ferramenta indispensável, onde a cada dia o número de ouvintes e adeptos cresce.

Outra novidade interessante a que as Rádios estão aderindo é a Webcam nos estúdios onde é feita a locução e apresentação dos programas. Segundo uma pesquisa feita pelas Rádios, os seus fiéis ouvintes têm muita curiosidade em conhecer e ver o rosto dos locutores, já que escutam a voz deles todos os dias.

Nem todos os locutores gostaram e aceitaram a ideia. segundo Marcos Barros que trabalha, há mais 30 anos em Rádio, o recurso gera muita exposição e se perde o sentido da locução em Rádio, pois segundo ele acaba a mágica que seria mexer com imaginário de quem escuta. Já o gerente de marketing Lucio Cardoso, considera efeitos positivos, agregando valor a locução e criando outro modo de se comunicar através de gestos, mensagens criando uma aproximação cada vez maior com o público ouvinte.

Divergências, ou não, são propostas modernas que vieram para incrementar um dos companheiros mais antigos do ser humano, que é o Rádio. Agora, afirmar se a proposta vai se consolidar é precipitado, só o tempo dirá.

Por Mauren Sauer

O Brasil tem pouco mais de cinco anos para preparar a realização de sua segunda Copa do Mundo de futebol. A primeira, em 1950, teve partidas disputadas em seis cidades: Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba e Recife. Desta vez, o número vai dobrar: 12 cidades vão receber o mundial e, para isso, precisam correr contra o tempo. Porto Alegre e o Estado do Rio Grande do Sul vão mais longe e já planejam o ano de 2014, quando acontecerá o maior evento do futebol mundial, no Brasil.

O secretário Mateus Bandeira afirma que o RS terá vantagens antes, durante e depois da Copa. Além disso, as cidades terão de melhorar a infraestrutura para receber as seleções e torcedores estrangeiros. Com o Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) da Copa (programa com recursos da União) haverá investimentos para as obras de infraestrutura, conforme os projetos do Estado e prefeitura, como, por exemplo, melhorias na mobilidade urbana, duplicação de avenidas, construção de metrô (ainda não definido) e uma nova ponte sobre o Guaíba. As reformas ou construções dos estádios devem começar no máximo até o dia 31 de janeiro de 2010.

Foi uma verdadeira festa para quase todos os brasileiros, ainda mais no Brasil, conhecido como o país do futebol. Com certeza vai ser um grande ganho para o nosso país, pois através disto levará e divulgará a cultura brasileira para muitos outros países, por que o mundo inteiro volta seus olhares para o país da Copa. Mas… será que estamos preparados para tudo isto?

*Fonte: Site: http://www.copa2014.com.br

Por Mauren Sauer

Palavra muita utilizada nos tempos em que vivemos — de tamanha importância que sai dos cursos preparatórios vocacionais e já faz parte do currículo das universidades que oferecem aos acadêmicos, conhecimento sobre este mundo e incentivar os futuros empreendedores. Vamos conhecer o que significa: empreendedor é o termo utilizado para qualificar, ou especificar, principalmente, aquele indivíduo que detém uma forma especial, inovadora, de se dedicar às atividades de organização, administração, execução; principalmente na geração de riquezas, na transformação de conhecimentos e bens em novos produtos – mercadorias ou serviços; gerando um novo método com o seu próprio conhecimento.

É o profissional inovador que modifica, com sua forma de agir, qualquer área do conhecimento humano. Também é utilizado – no cenário econômico – para designar o fundador de uma empresa ou entidade, aquele que construiu tudo a duras custas, criando o que ainda não existia.

Nesta definição, se percebe que , na realidade, o perfil do empreendedor é muito mais complexo do que se imagina. Então como podemos saber se temos ou não o perfil de empreendedor? São varias as características que o individuo deve possuir para se encaixar dentro do perfil empreendedor. Para tanto, a Psicóloga Consuelo Pasqualotto Poloni  — especialista em Gestão Empresarial — fala sobre algumas características que pessoa pode buscar desempenhar no seu dia- a dia para que se torne um empreendedor da própria vida. Consuelo afirma que as principais são: “aceitação do risco, ambição, auto-confiança, auto-motivação e entusiasmo, capacidade de trabalho em equipe, controle, criatividade, responsabilidade, determinação, flexibilidade, iniciativa, liderança, persistência, otimismo entre outras”.

Segundo dados divulgados no Brasil, apenas 14% dos empreendedores têm formação superior e 30% sequer concluíram o ensino fundamental. É o caso de Luiz Sauer que montou uma Pizzaria em Palmeira das Missões e afirma: “era mais difícil estudar naquela época, então, como não havia possibilidade e nem condições de estudar, fui trabalhar e tive a ideia de montar meu próprio negocio”. Este foi somente um exemplo dos muitos que tiveram, a iniciativa de empreender. Então para você que lê está matéria e se identificou com as características  “mãos à obra”, e aposte neste empreendedor que existe em você.

Por Mauricio Rebellato

Pinturas, crochês, artesanato, esculturas. Apenas algumas das tantas manifestações artísticas que se encontram por aí. Ter um dom para fazer belíssimas obras de arte parece nascer com a pessoa e com o passar do tempo é cada vez mais aperfeiçoado. Típico de nossa região, o artesanato é muito forte e além de hobby é importante fonte de renda para muitas famílias.

A ibirubense Elisa da Costa após trabalhar por 40 anos na área hospitalar resolveu se dedicar há dois anos à confecção manual de tapetes atoalhados (jogos de banheiro, cozinha, Patchwork e Quilting). “Procurei uma atividade em que pudesse manter o contato com as pessoas e que transmitisse alegria e beleza”, conta Elisa.

Mesmo fazendo verdadeiras obras de arte, o artesanato de Dona Elisa, assim como de muitas outras pessoas da cidade, não é valorizado. “O trabalho manual não é valorizado como deveria, devido aos detalhes que muitas vezes as pessoas desconhecem”, lamenta a artista.

A maior recompensa para Elisa é o trabalho pronto e a satisfação dos clientes.

 

Graciela Lorenzoni se dedica a pinturas em MDF, telas e em gesso. O gosto pelas artes segundo ela se desenvolveu principalmente após conhecer as peças aqui da região. “Sempre gostei e me chamava a atenção os trabalhos manuais, então me arrisquei nas pinturas, me inspirando nas peças artesanais feitas aqui na região”, explica Graciela.

Graciela se dedica as pinturas há mais de três anos.

Não diferente de Elisa Costa, a artista Graciela encontra a realização nas pinturas: “Para mim pintar é uma terapia, esse momento é especial onde esqueço todos os problemas do dia-a-dia”, recomenda Graciela. Abaixo você confere algumas das obras de Graciela:

Por Leandro Lui

Os conteúdos que são ministrados nas escolas são os saberes universais que acabam formando toda uma cultura e, entre eles, a disciplina de Artes. Segundo a professora de artes Ana Christina Utzig Dumoncel – Coordenadora do Departamento Municipal de Cultura ”No contexto escolar, o objeto de estudo da disciplina são os conteúdos específicos contemplados nas diferentes linguagens artísticas, entre elas música, dança, teatro e artes visuais”.

Ana Christina

A avaliação em relação a importância da matéria nem sempre é bem feita pelos alunos e pela comunidade em geral, sobre isso Ana Cristina relata que “o conteúdo de Artes passa a ocupar, gradativamente, um lugar mais central no currículo escolar, pois já possui conteúdo próprio e substancial que exige o mesmo rigor intelectual das ciências exatas e que tem o peso de reprovação também”.

O comportamento desprezível hoje dos alunos em relação ao ensino como um todo, tem sido pauta em todas as reuniões de professores e também tema de vários estudos sobre comportamento. No entanto, o relato da professora vem para nós surpreender, pois a mesma nos coloca que: “atualmente os alunos percebem a disciplina com a importância das demais, pois eles constroem conhecimento, o que antes ainda não acontecia”.

Esse relato é uma surpresa e quando ela é questionada sobre quais métodos que ela tem utilizado para conseguir tal façanha, Ana Christina nos conta que “para que ocorra aprendizagem é imprescindível que haja uma interação do professor com o aluno e do aluno com o professor, ou seja, nas minhas aulas, sempre há espaço para os alunos colocarem suas opiniões, sempre construímos juntos projetos de trabalhos, atividades e ações para serem desenvolvidas”.

Desta forma, concluímos que não basta aprender um conteúdo escolar para obtenção de boas notas e aprovação de ano escolar — embora estas precisem existir no contexto escolar — é primordial ir além disso, ou seja, mostrar que os alunos precisam aprender um conteúdo escolar em função de uma necessidade social e a compreensão e utilização do mesmo.

Nesta direção, o professor da disciplina de Artes necessita de interação continua com os alunos, dar a eles vez e voz, o que só é possível por meio de oficinas e do uso de materiais de apoio e didáticos desenvolvidos e aplicados por professores e profissionais da área.