Tag Archive: Santa Bárbara do Sul


Por Leandro Lui

Cada vez mais prima-se pela qualidade do ensino nas escolas. Elas acabaram assumido muito mais do que o simples papel de instituições de ensino e passaram a também exercer o papel de psicólogos, pais, mães e amigos . A cidade de Santa Bárbara do Sul possui apenas uma escola de ensino médio. O colégio Estadual Blau Nunes, hoje com 48 anos, presta importantes serviços à comunidade santa-barbarense e de toda região.

A instituição tem neste ano 644 alunos divididos nos turnos matinal, vespertino e noturno. A maior concentração ocorre no turno da manhã onde 364 alunos estão matriculados. No turno da tarde o número de alunos chega a 192 e, por fim, o noturno abriga 88 alunos. Um fato curioso é que cerca de 75% dos alunos matriculados a noite trabalham durante o dia.

Escola Blau Nunes


Ainda em relação ao turno da noite outro fato a constatar é que por trabalharem durante o dia estes alunos recebem uma atenção ou um cuidado especial. O ensino acaba não sendo tão puxado e acabam não recebendo muitos trabalhos para fazer em casa devido à pouca disponibilidade de tempo.

A responsável por comandar a instituição é a professora Jussara Barbosa dos Santos atual diretora. O colégio conta hoje com um quadro bem expressivo de professores, são 41 docentes divididos nos três turnos.

Com a chegada do final do ano, a procura de pais em busca de vagas para seus filhos junto ao Blau Nunes é muito grande. Pensando nisso a escola programou um sistema de matriculas on-line que pode ser efetuado pelo site http://www.seduc.rs.gov.br. O aluno se matricula pelo site e depois realiza a inscrição presencial.


Anúncios

Por Leandro Lui

Os conteúdos que são ministrados nas escolas são os saberes universais que acabam formando toda uma cultura e, entre eles, a disciplina de Artes. Segundo a professora de artes Ana Christina Utzig Dumoncel – Coordenadora do Departamento Municipal de Cultura ”No contexto escolar, o objeto de estudo da disciplina são os conteúdos específicos contemplados nas diferentes linguagens artísticas, entre elas música, dança, teatro e artes visuais”.

Ana Christina

A avaliação em relação a importância da matéria nem sempre é bem feita pelos alunos e pela comunidade em geral, sobre isso Ana Cristina relata que “o conteúdo de Artes passa a ocupar, gradativamente, um lugar mais central no currículo escolar, pois já possui conteúdo próprio e substancial que exige o mesmo rigor intelectual das ciências exatas e que tem o peso de reprovação também”.

O comportamento desprezível hoje dos alunos em relação ao ensino como um todo, tem sido pauta em todas as reuniões de professores e também tema de vários estudos sobre comportamento. No entanto, o relato da professora vem para nós surpreender, pois a mesma nos coloca que: “atualmente os alunos percebem a disciplina com a importância das demais, pois eles constroem conhecimento, o que antes ainda não acontecia”.

Esse relato é uma surpresa e quando ela é questionada sobre quais métodos que ela tem utilizado para conseguir tal façanha, Ana Christina nos conta que “para que ocorra aprendizagem é imprescindível que haja uma interação do professor com o aluno e do aluno com o professor, ou seja, nas minhas aulas, sempre há espaço para os alunos colocarem suas opiniões, sempre construímos juntos projetos de trabalhos, atividades e ações para serem desenvolvidas”.

Desta forma, concluímos que não basta aprender um conteúdo escolar para obtenção de boas notas e aprovação de ano escolar — embora estas precisem existir no contexto escolar — é primordial ir além disso, ou seja, mostrar que os alunos precisam aprender um conteúdo escolar em função de uma necessidade social e a compreensão e utilização do mesmo.

Nesta direção, o professor da disciplina de Artes necessita de interação continua com os alunos, dar a eles vez e voz, o que só é possível por meio de oficinas e do uso de materiais de apoio e didáticos desenvolvidos e aplicados por professores e profissionais da área.

Por Leandro Lui

Crise de valores na relação aluno-professor

A relação aluno-professor está, a cada dia, mais abalada e tumultuada e, acaba sendo uma guerra desumana. As salas de aula hoje possuem de 30 a 40 alunos de todas as classes sociais, etnias, partidos políticos e religiões. Os professores têm de conviver com este contexto nos 200 dias letivos: de tentar ensinar quem não quer aprender.

“… infelizmente o comportamento dos alunos degringolou e muito. Os direitos adquiridos pelos alunos com a intenção de melhorar, estão sendo mal interpretados” foi o que revelou a professora Vera Balest. Ela ministra a disciplina de Língua Portuguesa no Colégio Estadual Blau Nunes de Santa Bárbara do Sul.

Quando questionada sobre quais os motivos que estariam levando os alunos a terem comportamentos inadequados, ela coloca a família e poder público como pontos centrais ao indicar que “…estes encarregaram os professores a serem, além de transmissores de conteúdos, a exercerem o cargo de conselheiro, amigos, enfermeiros, mãe, pai e psicólogos”.

A cada ano de eleições, sejam elas municipais estaduais ou federais, tem-se muitas promessas. Os candidatos prometem que melhorias nas várias redes de ensino irão acontecer. Sobre a situação do ensino público do país, Vera Balest relatou que “em termos de comportamento do corpo discente, a situação é caótica” e ainda complementa: “o respeito, direito mínimo de dignidade dos professores, está cada vez mais fora de moda”.

Tal comportamento dos alunos tem refletido na saúde dos professores. O nível, ou seja, a carga de estresse sobre os mestres tem feito com que cada vez mais os profissionais da educação entrem em laudo médico. Por fim, fica a ideia da professora Vera “… acredito que seria necessário cada instituição de ensino contar com um profissional na área da psicologia, pois além de diagnosticar problemas, eles apresentariam soluções”.

Por Daniela Lisboa

Tradicionalistas de Santa Bárbara do Sul, irão realizar de 2 a 4 de dezembro, a 1ª Cavalgada Religiosa “Um abraço à Santa Bárbara”. Os cavalarianos irão percorrer um roteiro de 93 quilômetros. De acordo com o organizador do evento, Vitor Simão Lírio, o roteiro terá início no dia 2 de dezembro às 7h30min, no Monumento à Santa Bárbara, em direção à comunidade de Fazenda Itaíba, seguindo até a localidade de Pinheirinho, onde os participantes pernoitam.

No dia 3 de dezembro a Cavalgada segue em direção a São Manoel, após o almoço seguem em direção a Linha Encarnação. No dia 4 de dezembro, feriado em Santa Bárbara do Sul, os cavalarianos seguem até o Km 5 e retornam ao monumento de Santa Bárbara do Sul.

De acordo com o organizador Vitor Lírio, o evento será de fé e reflexão, aliados ao cultivo das tradições do Rio Grande do Sul. “Sem dúvida, é uma ação que será bem aceita pela comunidade e região que, com certeza, participará de mais este evento de fé”, destaca Lírio. Cavalarianos da região também poderão participar.